Skip to main content

A partir de 29 de Janeiro a Consulta Aberta terá o horário alargado

Consulta Aberta é assegurada por uma equipa de profissionais, nomeadamente, médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico e terapêutica, que visa o atendimento no próprio dia, para lhe prestar os melhores cuidados de saúde.

Horários Consulta sem marcação

Segunda a Sexta-feira
08h00 às 20h00

III Encontro Regional da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados da Região Centro

A Unidade de Convalescença do Hospital José Luciano de Castro da Misericórdia de Anadia, participou no III Encontro Regional da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados da Região Centro, que decorreu no dia 29 de setembro de 2023, no Museu Marítimo de Ílhavo.

Preocupados com a segurança do doente e a qualidade dos cuidados prestados, foi apresentado o trabalho desenvolvido na Unidade no âmbito da normalização da transmissão de informação dos doentes, entre os profissionais, para a continuidade dos cuidados de saúde prestados.

O trabalho com o título “Comunicação efetiva na transição de cuidados” foi apresentado pela Sr.ª Enfermeira Liliana Oliveira, em representação da equipa da Unidade de Convalescença.

Recomendação da DGS: Não consuma broa de milho!

Nas últimas semanas foram detetados 187 casos suspeitos de toxinfeção alimentar associados ao consumo de broa de milho nas seguintes zonas:

Leiria (Pombal, Ansião, Leiria, Marinha Grande, Pedrógão Grande), Santarém (Ourém), Coimbra (Figueira da Foz, Condeixa-a-Nova e Coimbra) e Aveiro (Ílhavo, Vagos).

A broa de milho é, e deverá continuar a ser, um integrante da dieta dos portugueses. No entanto, neste contexto de suspeita de toxinfeção alimentar, é recomendável que se interrompa o consumo deste alimento nas áreas identificadas, enquanto decorre a investigação por parte das autoridades competentes.

Esta é uma medida preventiva e de caráter transitório. Assim, até que este alimento seja considerado seguro, a DGS apela à colaboração dos cidadãos.

Alergias Alimentares

Um estudo publicado no The Journal of the American Medical Association, que inquiriu 40 mil pessoas conclui que metade delas diziam ser alégicas a algum alimento, o que não era comprovado em base de diagnóstico. Apenas 1 em cada 10 sofria efetivamente de uma alergia ou intolerância alimentar.

Por vezes, retiramos determinados alimentos das nossas refeições com base em supostas alergias e acabamos por não ingerir nutrientes importantes. Por esta razão, os especialistas alertam para a importância de consultar um médico alergologista para, com todos os testes necessários, confirmar ou não a presença de alguma alergia.

Os especialistas responsáveis pelo estudo afirmam ainda que “Se a alergia alimentar for confirmada, entender como se gere também é importante, incluindo o reconhecimento de sintomas de anafilaxia e como e quando usar adrenalina”.

Comer Depressa

Costuma comer muito depressa e esvaziar o prato em pouco mais de 5 minutos? Sabia que pode aumentar o risco de doenças metabólicas em 59%?

Um estudo levado a cabo pela Unidade de Nutrição Humana da Universidade Rovira i Virgili, pelo Instituto de Investigação em Saúde Pere Virgili e do Centro de Investigação Biomédica de rede Fisiopatologia da Obesidade e Nutrição, concluiu que quanto mais depressa comer, maior o risco de apresentar níveis mais altos de triglicéridos. No mesmo estudo, que inquiriu cerca de 800 voluntários, perceberam que todos os que comem em menos de 18 minutos apresentam um risco 59% superior de triglicéridos elevados no sangue.

Comer rápido aumenta este risco porque atrasa a sensação da saciedade, o que faz com que as pessoas continuem a comer embora já tenham satisfeito as suas necessidades nutricionais e energéticas.

Preze pela sua saúde e usufrua do tempo disponível para as refeições.

Frieiras, como reconhecer e tratar

Por norma as frieiras surgem no inverno, altura em que o frio se faz sentir com mais intensidade. É pois uma lesão que resulta da ação física do frio com os vasos sanguíneos superficiais. Com o frio, é normal que os vasos sanguíneos contraiam e esta ação pode impedir a natural circulação do sangue nas extremidades, o que faz com que a pele dessas zonas não aqueça.

Por esta razão, as frieiras são mais frequentes nos dedos das mãos e dos pés, orelhas e nariz. Embora possam também aparecer noutras zonas do corpo.

Como reconhecer:

Trata-se de uma lesão que provoca sintomas bastante característicos e desagradáveis, como:

– Bolhas,
– Dor,
– Inchaço,
– Comichão, que pode ser intensa,
– Pele dormente e branca, em determinadas situações azulada,
– Pele fria e vermelha.

Como tratar:

A boa notícia é que de facto é tratável:

Para evitar esta situação deve hidratar bem a pele e proteger-se do frio.
No entanto, deve consultar o seu médico se o problema se intensificar:

– Se os sintomas acima descritos de intensificarem,
– Se tiver febre,
– Se sentir dor intensa e começar a sentir algum tipo de dificuldade motora e
– Se a pele começar a ficar esbranquiçada e com bolhas.